Como descarregar um stream para o Computador (em modo Geek! 🤓)

Como descarregar um stream para o Computador (em modo Geek! 🤓)

Como descarregar um stream para o Computador (em modo Geek! 🤓) 1240 700 Bruno Brito

Há alguns dias, ficou disponível um concerto raro de um artista que muito aprecio (Jan Blomqvist), num conhecido site televisivo internacional.

O concerto só ia estar disponível 7 dias e não existia um botão de download. Se quisesse ficar com ele no disco, tinha 2 soluções:

  1. gravar o ecrã e o áudio;
  2. encontrar uma forma de descarregar o ficheiro original do stream.

A primeira opção é válida, mas não só ficaria com o computador indisponível durante os 65 minutos do concerto, como não sabia a resolução nativa do vídeo para ficar com a gravação no formato ideal.

A segunda ideia era bastante mais geek e provavelmente mais morosa, mas produziria um ficheiro “perfeito”. O desafio era bem mais interessante, portanto foi este o caminho escolhido.

Ao todo foram 4 passos, que em princípio poderás replicar noutros sites quando quiseres descarregar um stream para o teu computador. Dependendo da forma como o site apresenta os streams, talvez também tenhas sorte!

Vou tentar ser o mais descritivo possível, mas convém estares minimamente confortável com o terminal e com o inspetor de um browser (como as DevTools do Google Chrome) para acompanhares este artigo.

Passo #1: Usar o painel Network das Chrome DevTools para encontrar os fragmentos do stream

Um stream raramente é um ficheiro único, com o vídeo completo; o conteúdo está habitualmente dividido num conjunto de fragmentos.

Isto é conveniente para quem está a assistir ao stream, porque não tem que esperar que o ficheiro completa seja descarregado se só quiser assistir a umas partes específicas do vídeo. Para quem aloja o vídeo, isto também significa que pode poupar um pouco na conta do hosting no final do mês.

As 2 partes ganham – mas no nosso caso, vamos precisar de encontrar todos esses fragmentos.

No Google Chrome, se abrires as Chrome Dev Tools (basta carregar no botão direito do rato e fazer “Inspect” algures na página que tem o vídeo que pretendes), terás uma tab de nome “Network”. Tudo o que naquela página está a ser descarregado pelo teu browser é apresentado ali.

Podes filtrar por tipos de ficheiro, como JS, CSS ou Imagens. Para streams, é boa ideia filtrar por “XHR”.

A aba Network nas Chrome DevTools
A aba Network nas Chrome DevTools

No caso deste concerto, podes ver que os ficheiros cumprem um padrĂŁo: segmentxx_1.av.ts, onde xx Ă© o nĂşmero do fragmento. Habitualmente, Ă© assim que estĂŁo repartidos.

Avançando até ao final do vídeo no leitor, vejo que no caso do meu vídeo, o último segmento tem o número 392.

Temos então 392 fragmentos para descarregar. Para encontrares o URL, basta clicares num segmento com o botão direito do rato e escolher “Copy > Copy Link Address”.

Copy Link Address na aba Network das Chrome DevTools
Copy Link Address na aba Network das Chrome DevTools

Passo #2: Criar uma lista com todos os segmentos

O URL vai ser igual para os 392 fragmentos, mas o nĂşmero do ficheiro vai mudar. Precisamos entĂŁo de criar uma lista.

Há várias maneiras de chegar a este documento. No fundo, apenas precisamos de algo que repita o URL mas que acrescente +1 ao número do segmento.

Isto pode ser conseguido com Excel, com um editor de texto como o SublimeText com um plugin como o Text Pastry, ou por exemplo com JavaScript.

Para este caso, foi precisamente esta última opção que usei. Com um bom e velho loop, problema resolvido.

Assim sendo, nas DevTools podemos passar da aba “Network” para “Console” e colocar um código JS deste género:

// O número total de fragmentos fica nesta variável - no meu caso, 392
const length = 392;
// O URL que obtiveste com o "Copy Link Address" vai para esta variável, em forma de string - deves remover o nome do ficheiro, ou seja, o segmentxx_1.av.ts
const baseUrl = 'https://ositedoconcerto.com/pasta/outrapasta/'
// Criamos uma função com um loop para acrescentar o número ao segmento
function getURL() {
for (let index = 1; index < length; index++) {
const url = baseUrl + segment${index}_1_av.ts
console.log(url);
}
}
// Corremos a função, para que nos apresente a lista completa
getURL();

Passo #3: Descarregar todos os segmentos

Agora que temos a lista com o URL de todos os segmentos, podemos usar algum tipo de download manager para descarregar cada um, ou usar o terminal.

Sou grande fã do terminal para ações deste tipo e optei por recorrer ao wget para descarregar todos os ficheiros. Também poderás optar pelo curl (que podes utilizar em qualquer terminal), se preferires.

Para o caso do wget, basta editar a função que usámos no passo anterior, para o seguinte (a alteração é só dentro do console.log()):

// Criamos uma função com um loop para acrescentar o número ao segmento
function getURL() {
for (let index = 1; index < length; index++) {
const url = baseUrl + segment${index}_1_av.ts
console.log("wget " + url);
}
}

Voltamos a correr o código completo nas DevTools e abrimos o terminal para colar a nova lista obtida de ficheiros a descarregar, já com o comando wget inserido por nós para as 392 ocasiões.

Passo #4: Juntar todos os segmentos

Agora que temos o nosso computador com todos os segmentos descarregados, está na altura de os juntar todos num só vídeo.

Para isso, vamos voltar a usar o terminal, e o poderoso FFmpeg. Esta é uma solução incrível para manipular vídeo e até áudio, e é claramente mais rápida que um programa como o Adobe Premiere ou o Final Cut.

Com o concat do FFmpeg, é fácil juntar uma enorme quantidade de vídeos.

O comando mágico a utilizar é o seguinte: ffmpeg -f concat -i segmentlist.txt -c copy all.ts

Como podes ver, o concat recebe uma lista de ficheiros, vinda de um TXT que dei o nome de segmentlist.txt.

O ficheiro TXT terá que ter o seguinte aspecto:

file 'segment1_1_av.ts'
file 'segment2_1_av.ts'
file 'segment3_1_av.ts'
file 'segment4_1_av.ts'
file 'segment5_1_av.ts'

E assim sucessivamente. Novamente, podes utilizar várias soluções para gerar esta lista, da mesma forma que no passo #2.

Vamos voltar entĂŁo a recorrer ao JavaScript e inserir o seguinte na consola:

const length = 392;

function getFileList() {
  for (let index = 1; index < length; index++) {
    const fileName = `segment${index}_1_av.ts`
    console.log(`file '${fileName}'`)
  }
}

getFileList();

Agora, copiamos o resultado para um ficheiro de nome segmentlist.txt.

Corremos finalmente o comando do FFmpeg com o concat e o nosso vídeo estará pronto com o nome all.ts, visto que, neste caso, a extensão dos fragmentos era TS.

Se quiser entrar em contacto comigo, pode enviar-me um e-mail para [email protected] ou preencher o formulário abaixo.

NOTA: Todos os campos sĂŁo de preenchimento obrigatĂłrio.

Como descarregar um stream para o Computador (em modo Geek! 🤓)

Tempo de Leitura: 6 min
0