Conteúdo é Rei – O projecto Wrestling.pt

O projecto Wrestling.PT

Conteúdo é Rei – O projecto Wrestling.pt

Conteúdo é Rei – O projecto Wrestling.pt 620 350 Bruno Brito

Em Junho de 2013, quando me mudei para a Suíça, deixei para trás uma das minhas maiores paixões – o Wrestling. Estou ligado a este mundo há mais de 15 anos (que já muito me ensinou) e abandonar o cargo de treinador a tempo inteiro da academia do Wrestling Portugal foi sem dúvida uma decisão muito difícil.

Estando agora a 2.000 quilómetros de Queluz, seria fisicamente impossível comparecer nos treinos todos os sábados, mas tal não me impediu de pensar em formas de continuar a ajudar e promover o que é feito naquele belo edifício situado em Monte-Abraão, mesmo se à distância.

Como surgiu a ideia

Sendo eu um grande fã de marketing de conteúdos, não foi difícil encontrar a solução para continuar a espalhar a mensagem. Nasceu assim o projecto que informalmente intitulei “O manual do (aprendiz a) lutador”.

O bichinho de partilhar conhecimento sobre Wrestling continuava bem vivo dentro de mim e senti que a melhor forma de continuar a transmitir as minhas mensagens seria através de um blog. Não substituiria o ringue, mas esta seria a melhor forma de dar continuidade ao meu trabalho na academia.

Falar (e escrever) sobre Wrestling nunca foi problema para mim e sentia-me confortável para abordar os principais assuntos (e obstáculos), falando praticamente sempre por experiência própria e conhecendo as pessoas certas do circuito para pedir ajuda, quando relevante.

Quanto à plataforma, a escolha era óbvia – um dos meus alunos (e grande amigo meu) tem aquele que é o site de referência de Wrestling em português, com uma comunidade bem activa, pelo que foi uma questão de trocar uns e-mails para fazer com que isto acontecesse.

Objectivos

Este novo espaço, que apareceria semanalmente no Wrestling.PT, acabaria por beneficiar 3 entidades, directa ou indirectamente: a marca WrestlingPortugal, a marca Bruno “Bammer” Brito e o website Wrestling.PT (e claro, a sua forte comunidade).

Havia aqui uma forte preocupação em educar o leitor sobre o que é uma carreira de Wrestling, mas se estamos a falar de marketing de conteúdos, claro que existia aqui também algum Marketing a correr no background.

E claro, a grande vitória seria obter mais alunos.

Mas angariar novas inscrições não era tudo. Os objectivos para esta iniciativa eram os seguintes:

  • aumento da awareness da academia do WP;
  • aumento da credibilidade dos representantes da academia;
  • aumento do tráfego e da interação entre a comunidade, para o website Wrestling.PT.

Pelo meio, se os artigos tivessem qualidade e existisse interesse por parte da comunidade em saber mais, outros benefícios surgiriam de forma colateral, como o aumento de social signals (likes/seguidores/tweets), mais e-mails de potenciais alunos interessados em fazer parte da academia e maior conhecimento sobre o que se faz em Portugal.

Entrando na parte técnica…

A qualidade dos artigos teria de ser, indiscutivelmente, elevada. Estava em jogo a credibilidade tanto do porta-voz (eu) como da academia em si, visto que fui durante 7 anos o treinador principal.

Estes artigos preencheriam uma lacuna actual – muito se escreve sobre Wrestling todos os dias, mas raramente é abordada a questão da formação – especialmente em Português, é claro.

A priori

Não sou propriamente um estranho no que toca a Content Marketing. Para além de consumir muitos conteúdos por dia, já alimentei eu próprio vários blogs, de variados temas, pelo que neste poderia aplicar alguma experiência do passado.

Por um lado, sentia que alguns pontos jogavam a meu favor:

  • experiência enquanto aluno que foi lá fora, lutador, campeão e treinador;
  • domínio sobre a audiência (não só conheci inúmeros amigos/alunos que partilhavam este interesse como acompanhava diariamente os debates da comunidade online);
  • o facto de ter participado em actividades extra relacionadas com o Wrestling, como comentador SportTV, anúncio para a Vodafone, acção com a Optimus no festival Optimus Alive, etc.

Basicamente, isto significaria que poderia escrever na 1ª pessoa se necessário, sem necessidade de aceder ao Google para a maior parte dos artigos.

Por outro lado, colocavam-se naturalmente algumas incógnitas:

  • haveria interessados para este tipo de conteúdos?
  • seria credível ler artigos deste género criados por um Português?
  • teria eu a disciplina necessária para produzir um artigo por semana para este espaço?

Estes pontos não me impediram de seguir sem frente, pois havia aqui uma ideia com potencial, que devia ser validada. E assim se seguiu em frente!

Gerando ideias para artigos

A ideia de criar um manual significaria que os temas seriam finitos e estariam, ao mesmo tempo, interligados. Por esse motivo, apesar de ter uma ideia relativamente clara na minha mente do que teria de ser feito, senti que o melhor seria começar por um brainstorm de temas no Evernote. Estes tópicos foram geradas na sua maioria num só dia, mas sempre que necessário voltaria a aceder ao bloco de notas para acrescentar mais uma ou outra ideia.

Algumas ideias para artigos no Evernote

Este documento acabaria por se revelar bastante útil mais tarde, quando começava a ficar menos claro o que faltava abordar e quais as ideias mais pertinentes para utilizar a seguir. Nem todas as ideias foram usadas (e algumas tiveram de ser combinadas para justificar 1 artigo) mas este brainstorm é sem dúvida algo que aconselharia para qualquer projecto.

No que toca ao número de artigos a publicar, não teria qualquer constrangimento – escreveria enquanto fizesse sentido.

A anatomia de cada artigo

Todos os artigos seriam escritos em Markdown e depois convertidos para HTML, como faço habitualmente.

Ao redigir cada artigo, apontava para as 1800-2000 palavras e apresentaria sempre uma introdução (onde explicaria sucintamente o porquê daquele tópico ser importante para o aprendiz a lutador), o desenvolvimento (que poderia ser por listas do género “5 motivos”, texto corrido ou testemunhos de convidados) e a conclusão. Em alguns momentos, como links recorrentes, recorri ao TextExpander.

Considerando o short attention span que a internet proporciona, os artigos eram devidamente formatados para serem mais apelativos (com bolds e itálicos quando relevante) e contavam com 4 a 5 imagens.

No que diz respeito à voz, a ideia seria replicar aquilo que sou enquanto professor no WP – directo, sincero e sem filtros. Seria um professor à distância, é certo, mas pretendia manter uma comunicação similar àquela que seria experienciada na academia de Queluz. Penso que esta consistência seja importante, mais que não fosse para manter a coerência face ao que se lê nos artigos e o que se experiencia numa aula.

A nível de SEO, foram utilizadas tags h1/h2/h3/h4 quando relevante, o anchor text para a academia variava e o número de palavras dos artigos era Google-friendly. Por fim, adicionei a minha Google Authorship a este projecto.

Por fim, havia uma preocupação para que o conteúdo criado fosse evergreen, ou seja, intemporal. A ideia seria fazer sentido tanto nos dias de hoje como daqui a 5 ou 10 anos.

As imagens

A esmagadora maioria das imagens veio de 3 locais:

  • Fotografias diversas do website do WrestlingPortugal ou capturadas por mim durante o meu tempo na academia;
  • Compfight, um motor de pesquisa de imagens presentes no Flickr, exibindo imagens com a licença Creative Commons;
  • Montagens minhas feitas no Photoshop ou no Pixelmator, utilizando ícones do IconArchive ou GraphicStock (um site de imagens stock onde tenho conta).

Um exemplo de uma imagem minha:

Diploma de Graduado WP

As fotos eram carregadas no meu próprio alojamento, e nos últimos artigos utilizei o Compressor.io para comprimir as imagens.

O que não seria abordado

O Wrestling está cheio de segredos e mesmo com a Internet a levantar um pouco o véu sobre o que acontece nos bastidores, alguns aspectos mais práticos ficariam para os professores da Academia – por respeito ao Wrestling e para proteger o negócio.

Apesar de estar disposto a abrir o livro em todos os meus posts, prometi a mim próprio que tudo o que dissesse respeito a como executar determinado golpe, montar um combate ou comunicar no ringue, por exemplo, ficaria para alunos da academia do WP.

Assim, este seria o esquema final de artigos para o espaço:

O Manual do Aprendiz a Lutador

A importância do feedback

O sucesso desta iniciativa dependeria da adesão da comunidade.

O fã de Wrestling tem, por norma, sempre uma opinião apaixonada sobre qualquer tema, portanto seria interessante observar a resposta dos leitores a este novo espaço.

Aqui, prometi a mim mesmo que nenhum leitor ficaria sem resposta e que todo o feedback seria considerado.

A rotina semanal

Para este projecto, segui os passos habituais do meu processo criativo.

  • Na 2ª feira, escolhia o tópico (recorrendo ao Evernote) e pensava um pouco sobre o que quereria abordar. Eventualmente, abriria uma nota nova no Evernote ou no Google Keep (uso ambas) para apontar algumas ideias, nas horas vagas, como por exemplo durante o tempo passado no autocarro.

  • Na 3ª feira, começava a escrever. Geralmente terminava o primeiro draft nesse mesmo dia, ficando a 4ª feira para eventuais ideias novas que surgissem entretanto. Dependendo do tópico, estas 2.000 palavras poderiam ser escritas em 60 minutos ou numa manhã.

  • Na 5ª feira, já com a mente mais descansada, tratava da edição, relendo várias vezes o texto.

  • Na 6ª feira o artigo era convertido de Markdown para HTML e publicado de manhã, recebendo mais um par de revisões quando já estava online.

  • 6ª à noite, sábado e domingo seriam dias de promoção do artigo e de consulta de feedback.

Os resultados

O primeiro artigo, “Quando Ser Fã Não Chega” foi publicado a 11 de Outubro de 2013 e recebeu na verdade a maior dose de comentários (92), visto que a maior parte da comunidade já sabia quem eu era e me quis dar as boas-vindas/lançar de imediato algumas questões.

33 artigos e 70 mil palavras depois (o suficiente para um livro), a 13 de Junho de 2014 este espaço conhecia o seu último post.

Realisticamente, uma vitória para mim seria inspirar (e educar) alguém o suficiente para seguir em frente com o seu sonho e fazer uma carreira, grande ou pequena, no fascinante mundo do Wrestling.

Mas considerando os objectivos acima referidos (e sendo este um blog de Marketing) seria interessante partilhar alguns números e lições desta aventura de 9 meses.

Nota: este artigo foi redigido na mesma semana em que o último post foi para o ar, pelo que apresentarei aqui dados sem considerar o impacto do último artigo.

Impacto no WrestlingPortugal

Entre Outubro de 2013 e Junho de 2014, 15.10% do tráfego do www.wrestlingportugal.com era oriundo do Wrestling.PT. Destes 15%, quase metade tinha chegado a este site por ter clicado num link que figurava nos meus artigos.

O WrestlingPortugal está obviamente muito bem colocado no Google, pelo que a maior parte dos leitores já conhecia a academia. Ainda assim, os artigos contribuíram com 515 clicks de pessoas com real interesse em treinar Wrestling – afinal de contas, os artigos eram claramente de nicho, sendo apenas interessante para uma percentagem reduzida de leitores do Wrestling.PT. O volume de e-mails de pessoas interessadas em experimentar/treinar também cresceu e foram vários os que apareceram para experimentar.

Para além deste impacto no exterior, os alunos da academia passaram a ser incentivados pelos actuais professores a ler os artigos, como se de um trabalho de casa se tratasse. No futuro, estes artigos poderão ser uma mais valia para a própria página de treinos de wrestling do WP.

No entanto, os ganhos foram bem para além do tráfego: muitos leitores demonstraram maior interesse sobre o que é feito na academia e passaram a encarar com outros olhos aquilo que é feito em Portugal – outro grande objectivo desta acção.

Impacto no Wrestling.PT

O Wrestling.PT beneficiou desta iniciativa, tanto a nível de tráfego como de diversidade de conteúdos, algo que foi frequentemente realçado pela comunidade.

A nível de visitas, estes foram os números que cada artigo obteu:

As views dos artigos no Wrestling.PT

Aqui, é fácil verificar quais os posts mais populares. O primeiro de todos e o último de Março de 2014.

O sucesso do primeiro de todos atribuo ao factor “novidade” e ao facto de ter sido com alguma surpresa que vários leitores encontraram um artigo redigido por mim (visto que não houve qualquer anúncio prévio) no Wrestling.PT. Este foi também o artigo mais comentado de toda a iniciativa, que também justificou a subida nas pageviews.

O outro artigo popular tinha um título realmente apelativo – “Como chegar à WWE em 6 passos” e este tipo de headlines resulta bem com qualquer conteúdo.

A nível de tráfego, os artigos proporcionaram mais de 15 mil pageviews para o Wrestling.PT, com uma média de tempo passado em cada página superior a 4 minutos.

Para esta secção, faria sentido pedir o testemunho ao administrador do site, Luís Salvador, portanto cá está ele!

Ter o Bruno “Bammer” Brito a escrever no Wrestling.PT foi um enorme prazer! Vieste trazer ao projecto algo que até então não existia: artigos na óptica de um lutador, de quem já pisou um ringue por diversas vezes, de um campeão, de quem tem muita coisa para ensinar.

É divertido falarmos e comentarmos sobre o que vai acontecendo nos grandes shows semanais, mas tu falaste sobre como tudo isso acontece e como os lutadores se esforçam e lutam para chegar lá. Não é fácil…. Há muita coisa que quem deseja ser lutador tem que aprender primeiro e tu foste exímio em todos os teus artigos. Foram 9 meses de excelente conteúdo, que continuarão obviamente no futuro a ser divulgados e partilhados.

Quero-te agradecer o grande esforço e dedicação que demonstraste a cada semana e desejar-te o maior sucesso com este teu projecto pessoal! 😉

Impacto a nível pessoal

Talvez menos mensurável, mas igualmente valioso, foi o impacto desta iniciativa na minha marca pessoal. Para além dos vários seguidores que angariei no Twitter e no Facebook (só no Facebook, o Wrestling.PT foi responsável por 202 visitas à minha página), aquilo que valorizei realmente foi o número de pessoas que me enviaram uma mensagem ou um tweet a agradecer a iniciativa e que espalharam o conteúdo junto à sua rede de contactos.

Pelo caminho, fiz também alguns amigos, o que só demonstra que este tipo de projectos pode ser um belo ponto de partida para outros tantos.

A comunidade

A cada artigo, era visível o maior investimento da comunidade face ao projecto. O número de partilhas aumentava, bem como o número de mensagens pessoais.

A comunidade deu sempre a sua opinião, em grande parte de forma positiva e construtiva, algo que é longe de garantido quando falamos de fãs de Wrestling. Isto só prova, no entanto, que quando os conteúdos têm qualidade e não questionam a inteligência do leitor, o feedback é positivo.

Fiz sempre questão de agradecer qualquer comentário (nem que fosse com um simples obrigado por leres) e dei o meu melhor para esclarecer qualquer dúvida.

Prestei particular atenção às maiores dificuldades que os leitores sentiam, o que me levou não só a redigir um artigo dedicado a um utilizador em particular (“Tudo sobre Truques, Golpes e Manobras”), como podemos constatar em baixo, como a expandir um tema em 2 artigos, o “Treino de Promos”.

Feedback de um leitor originou um novo artigo
Muitos bloggers descuram o follow-up com os seus leitores quando é tempo de ler e responder aos comentários, mas para mim sempre foi uma das principais preocupações quando se cria um projecto deste género.

O balanço final

Esta iniciativa não só cumpriu os objectivos como se revelou mais divertida do que já se esperava (e antes de começar já a encarava com muitos bons olhos).

Foi com pena que publiquei o último artigo e apesar de poder publicar muitos outros, uma de 2 coisas poderia acontecer:

  • a qualidade dos mesmos poderia decrescer;
  • uma das principais mensagens – “parte à acção – acabaria por se perder se este espaço permanecesse em aberto de forma interminável.

Assim, saio com a sensação de dever cumprido, ciente de que muitos leitores estão agora mais esclarecidos sobre o que é e onde podem treinar Wrestling. O futuro está agora totalmente entregue aos mais audazes, aqueles que perseguirem o seu sonho!

Testemunhos Wrestling.PT

A próxima paragem

Depois deste projecto, outras iniciativas do género poderão surgir – uma delas já foi na verdade testada, sob a forma de Hangouts.

Mas a grande novidade é que estes artigos serão convertidos num livro, que será distribuído digitalmente.

Todos os posts serão revisitados, editados e melhorados – tornando-se este o ponto de partida para um projecto ainda maior. O livro será acompanhado de vídeos e contará com mais convidados e mais conteúdo sobre cada tópico.

Como se tal não bastasse, será escrito juntamente com o meu amigo Afonso Malheiro, que não só sabe 1 ou 2 coisas sobre escrita, como teve um papel fundamental na escrita dos espectáculos do WrestlingPortugal – dando uma perspectiva única (e tremendamente valiosa) para o lutador e a sua relação com a equipa criativa.

O livro é a próxima paragem

O livro não tem ainda título, preços ou prazos anunciados, mas deverá surgir em 2015. E quando esse projecto acabar, claro que todas as aprendizagens também serão partilhadas aqui!

Se quiser entrar em contacto comigo, pode enviar-me um e-mail para [email protected] ou preencher o formulário abaixo.

NOTA: Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Conteúdo é Rei – O projecto Wrestling.pt

Tempo de Leitura: 15 min
0