Como ter vários blogs WordPress numa só conta DigitalOcean

Como ter vários blogs Wordpress numa só conta DigitalOcean

Como ter vários blogs WordPress numa só conta DigitalOcean

Como ter vários blogs WordPress numa só conta DigitalOcean 620 350 Bruno Brito

A DigitalOcean começou em 2011 e registou um crescimento verdadeiramente astronómico nos últimos tempos – é, actualmente, uma das 3 maiores empresas de hosting do mundo!

Tal não será de admirar se experimentares o serviço – por 5 dólares por mês, tens uma VPS (Virtual Private Server) pronta a utilizar, que te garante maior liberdade e velocidade se compararmos com os alojamentos partilhados que são, para sites com muito pouco tráfego, geralmente a 1ª escolha.

As VPS sempre foram vistas como difíceis de configurar ou dispendiosas, mas como verás, a DigitalOcean veio simplificar o processo. E, com VPS a partir de 5 dólares, o alojamento acaba até por ser mais barato do que muitos serviços de alojamento partilhado.

Mas se estás a ler este artigo, provavelmente já conheces os benefícios de uma VPS e queres simplesmente saber como tirar maior partido do serviço, certo?

Vamos a isto!

DigitalOcean + ServerPilot = WIN!

Na passada semana, migrei 14 blogs WordPress para uma conta de $5 mensais da DigitalOcean. Aqui, vou-te explicar os meus passos, para beneficiares de várias instalações WordPress – não te esqueças é que se alguns dos teus sites forem populares (ie, muitos milhares de visitas diárias), uma conta de $5 poderá não chegar, mas podes esticá-la ao máximo se utilizares um plugin de caching como o W3 TotalCache e uma CDN, que podes aprender a configurar aqui.

Vamos então começar pelo DigitalOcean.

Criar um droplet no DigitalOcean

Depois de te registares no serviço, deves criar um droplet.

O DigitalOcean anuncia com orgulho que podes ter uma aplicação instalada em menos de 1 minuto recorrendo a um dos seus populares droplets. Com um par de cliques, poderás instalar um blog WordPress, Drupal ou Ghost.

Com a nova parceria DigitalOcean / Bitnami, novas apps são constantemente adicionadas, tornando o serviço ainda mais interessante.

As apps do DigitalOcean

É também aqui que escolhes as capacidades da tua máquina – tendo impacto directo no preço – e a região (tens 3 à escolha na Europa).

Configurar droplet no DigitalOcean

Aqui, o instinto seria criar um droplet WordPress, mas não é isso que vamos fazer. Vamos, isso sim, criar uma Distribution que terá de ser o Ubuntu 14.04 de 64-bit.

A razão para isto é simples: temos de integrar o ServerPilot, que só funciona nesta configuração. Se tivesses optado pela Application WordPress, só terias direito a um blog por droplet, que não é o pretendido, visto que se tivesses 3 blogs terias de pagar, no mínimo, 15 dólares mensais.

Distribuição Ubuntu no DigitalOcean

Integrando o ServerPilot

Agora, é tempo de criar uma conta no ServerPilot. O ServerPilot tem uma versão gratuita que permite criar apps sem limites, pelo que não terá qualquer custo para nós.

Ao delegarmos a instalação do WordPress para o ServerPilot, estamos basicamente a garantir que esta instalação será optimizada para a nossa VPS do DigitalOcean, criando uma instalação mais segura e mais rápida (utilizando Nginx), como podes consultar aqui.

Criada a nossa conta gratuita, devemos depois então associá-la ao nosso servidor, onde inserimos o endereço IP, a password SSH para ‘root’ (que deverás receber num e-mail enviado pela DigitalOcean) e uma palavra-passe, à tua escolha, para o utilizador SFTP que o ServerPilot criará por ti, com o nome serverpilot.

Configurar ServerPilot

Criar uma app

Criado o servidor, podemos prosseguir para a configuração da nossa appé aqui que será instalado um WordPress por nós.

Configurar WordPress no ServerPilot

Damos um nome, indicamos o domínio e decidimos se queremos uma instalação fresca do WordPress ou não. Se já tiveres uma migração do WordPress preparada, podes ignorar este campo.

Se optares por uma instalação nova, é aqui que defines o nome do teu blog e os acessos, para fazeres depois o login.

Por fim, escolhes a versão do PHP e o servidor, que será aquele que inseriste no passo anterior.

Se não colocaste o visto em WordPress, o próximo passo será criar uma base de dados, dando um nome, um username e uma password, para depois introduzires no habitual wp-config.php do WordPress (o DB_HOST será “localhost”, já agora).

Criar uma base de dados no ServerPilot

Se optaste por uma instalação nova do WordPress, o teu blog já deverá estar a funcionar!

Copiando os ficheiros para a migração

Este é um passo opcional, que assume que queres importar a informação do teu WordPress já existente – para tal, a minha recomendação é utilizares o brilhante plugin Duplicator, que cria um package que consiste num ficheiro ZIP com todos os conteúdos e um ficheiro, de nome installer.php.

Começa por instalá-lo no teu blog WordPress actual e activá-lo. Depois, cria o package, que levará alguns minutos, e descarrega-o para o teu computador.

Depois, deves aceder ao FTP da DigitalOcean (como root ou como serverpilot, cujo acesso configuraste em cima) e fazer upload dos 2 ficheiros que descarregaste.

NOTA: o caminho no teu FTP deverá ser algo do género /srv/users/serverpilot/apps/o_teu_blog/public

Para o configurar, basta depois ires ao [teudomínio.com]/installer.php e completar a instalação, dando os detalhes da base de dados que configuraste em cima.

Terminado este processo, já deverás ter o teu blog pronto a usar!

Adicionando mais blogs WordPress

O mais trabalhoso já passou. Agora é repetir estes passos para cada instalação ou migração WordPress, com umas pequenas diferenças.

No DigitalOcean

… não precisas de criar mais nenhum droplet. Tudo o que precisas é de ir à área DNS da tua conta e adicionar o domínio, escolhendo o droplet que já criaste.

DNS - DigitalOcean

No ServerPilot

… deves repetir todos os passos descritos, criando uma nova app com o domínio respectivo e, opcionalmente, a base de dados e posterior upload dos ficheiros.

Por fim, não te esqueças de actualizar os nameservers

Se já tinhas o teu site online, terás que actualizar os teus nameservers, se não os utilizadores continuarão a ser redireccionados para o site do alojamento antigo.

Se quiseres evitar o downtime, podes utilizar um serviço intermediário como o CloudFlare, que é grátis e excelente para gerires os teus DNS – basta apontares os teus nameservers para o CloudFlare e sempre que precisares de fazer alguma alteração, actualizas no CloudFlare (em vez de ser na empresa onde tens o teu domínio), que o disponibiliza instantaneamente.

Adicionar um Website no CloudFlare

Se adquiriste um domínio novo, podes claro também ligá-lo aos nameservers da CloudFlare ou directamente aos da DigitalOcean, que são:

ns1.digitalocean.com
ns2.digitalocean.com
ns3.digitalocean.com

NOTA: os nameservers da CloudFlare são variáveis, pelo que te deves registar e adicionar um site para ver quais é que te são atribuídos. Acredita que este serviço vale muito a pena!

Conclusão

O DigitalOcean é o serviço de hosting deste site desde Novembro de 2014 e estou super satisfeito até hoje.

As VPS deixaram ser um “bicho papão”, estando agora muito acessíveis e fáceis de utilizar, mesmo se o teu objectivo passa por configurar um simples blog.

E, como se viu, podes ir muito longe com apenas 5 dólares mensais – com a ajuda do ServerPilot podes criar um número ilimitado de blogs e, se alguns deles forem (ou se tornarem) populares, podes sempre configurar uma CDN como a Amazon Cloudfront para aliviar o tráfego do teu site (e torná-lo ainda mais rápido)!

Se quiser entrar em contacto comigo, pode enviar-me um e-mail para [email protected] ou preencher o formulário abaixo.

NOTA: Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Como ter vários blogs WordPress numa só conta DigitalOcean

Tempo de Leitura: 6 min
11